quarta-feira, 30 de dezembro de 2009

Boas compras


Dezembro chega ao fim com um resultado financeiro desastroso para mim.
Sabe aquele comportamento impulsivo e até irresponsável? Pois bem, usei e abusei nas ultimas semanas. Fui compelido ao consumo exagerado, muitas das compras não eram prioridades, mas mesmo assim eu as fiz. Será que devo me tratar em uma clínica de recuperação para cidadão de pouca renda com mania de classe A?
Entre tantas bobagens, cito a compra de um microondas, mas por que eu comprei essa porcaria? Já tenho um e nem usamos, mas quando vi os novos modelos, meu cérebro me disse: “nossa que microondas fantástico, o nosso já tá velinho, tá na hora de trocar”. Fui lá e financiei sem entrada e em 400 parcelas com juros desconhecidos. A outra compra de que não posso me orgulhar foi um novo aparelho de televisão. Comprei um de 29 polegadas (já tenho um) só porque o preço era muito pequeno. Depois da compra vi que TVs desse tipo estão em desuso e quem sabe se ainda estão sendo fabricados. Se era pra comprar uma TV nova, que fosse de LCD com todas aquelas parafernálias que eu não entendo mas que parecem ser a ultima tecnologia.
Ah, aproveitei e troquei meu celular. Não sei bem porque fiz isso. O atual é bem útil, faz e recebe ligação, tem calculadora, despertador, joguinho, agenda e compromissos, toca mp3 e exibe alguns filmes, mas não tem TV. Aí pensei: “poxa, meu celular não tem TV. Uma TV no celular vai ser bem útil quando eu estiver na fila do banco ou na sala do dentista, alem de ter sintonia de rádio e a fotografia é de melhor qualidade, vou comprar tô precisando”. Comprei, e só pra exibir meu novo brinquedo fui pra fila da lotérica, mas procurei aquela lotérica mais lotada. Liguei o aparelho e a TV não sintonizou com qualidade. É interferência desse monte de equipamento, disse a caixa da loteria. Lógico que me frustrei, mas não me senti derrotado, ainda restava à limpeza no dentista. Ele sempre me deixava esperando séculos, meu passatempo principal já era contar as consoantes nos textos das velhas revistas da sala de espera. Cheguei com meia hora de antecedência pra dar tempo de ver algum programa. Marquei minha presença e nem bem sentei já fui chamado, a atendente sorrindo informou que houve uma desistência e que eu estava com sorte, já ia ser atendido.
Bem, mas posso me orgulhar de ter comprado um jogo de bar em aço inox com bom preço em uma loja de presentes. Tem pegador de gelo, tábua de corte, coqueteleira, misturador, balde de gelo, facas de corte, abridores, coisinhas, pilão e um lindo suporte do pilão. Já estou procurando um curso de bar man pra aprender a usar esse monte de coisas. Tem uma agulhona que parece seringa para elefante. Pesquisei e descobri que ainda terei de comprar um refil de ar comprimido pra usar esse apetrecho, que seria um saca-rolhas de ar comprimido. Nossa! Terei de fazer ainda mais duas compras, o refil do ar comprimido e algumas garrafas de vinho pra serem abertas, né? Já não tenho dinheiro e os cartões estão todos sem limites, mas posso dar uns chequinhos Pré-datados e depois eu vejo como fica.
Feliz 2010

por Eduardo Teixeira

sábado, 24 de outubro de 2009

Frases Famosas - Maças e Idéias

"Se você tem uma maçã e eu tenho uma maçã e nós trocamos essas maçãs, então eu e você ainda teremos uma maçã cada. Mas se você tiver uma idéia e eu tiver uma idéia e nós trocamos idéias, então cada um de nós terá duas idéias."

George Bernard Shaw (1856-1950)

segunda-feira, 5 de outubro de 2009

PENSE EM RELAÇÃO A ESTA HISTÓRIA*

Se Jesus fosse vendedor...
Ele visitaria pessoas e não clientes. Ele pensaria no coração, não no bolso.
Se Jesus fosse vendedor...
Se Jesus fosse vendedor Ele só usaria uma única técnica de venda: O amor.
Se Jesus fosse vendedor...
Ele encantaria pela missão, não pela comissão.
Se Jesus fosse vendedor...
Ele trataria as pessoas não como fichas, números, ou talões de pedidos...
Se Jesus fosse vendedor Ele ofereceria pós-vida e não pós-venda.
Se Jesus fosse vendedor...
Ele visitaria para beneficiar, não para faturar.
Se Jesus fosse vendedor...
Ele não teria medo de fracassar, pois confiança em Deus joga o medo por terra...
Se Jesus fosse vendedor Ele transformaria consumidores em adeptos e clientes em fies, e fidelizar em ter resultados
Se Jesus fosse vendedor...
Seus produtos seriam o Caminho, a Verdade e a Vida.
Mas Jesus nunca foi vendedor. E sabe por quê? Para que, com Ele, eu me tornasse o melhor vendedor do mundo.

*do livro a Chave para o Sucesso de Silvio Carajeleascov

A chave para o sucesso

por Silvio Carajeleascov

Para ter Sucesso, reconhecimento, fama, glória, muitos de nós lutamos por motivos assim, mas não se constrói um bom nome da noite para o dia. É preciso trabalhar muito, ainda que haja tropeços e quedas.
É preciso superar os obstáculos. É preciso ter motivação, perseverar, insistir. A vida é uma sucessão de batalhas.
Emprego, família, amigos, todos nós temos um status atual e temos também expectativas com relação ao futuro. No entanto as reviravoltas do destino nos surpreendem.
Nem sempre dá para se fazer só o que gostamos, mas aquele que gosta do que faz e sente orgulho em fazer melhor a cada dia vai mais longe. Há momentos de calmaria e há momentos agitados, decisões em que apenas a boa intenção não basta.
È quando a vida nos cobra coragem, arrojo, criatividade e um inabalável espírito de luta. A verdade é que os problemas e os reveses ocorrem com maior freqüência do que gostaríamos. Os tempos mudam, surgem novos desafios e novos objetivos.
Os guerreiros olham nos olhos do futuro sem medo, sem arrogância, mas com a confiança de quem está pronto para o combate. Viver é estar preparado para os momentos mais difíceis. O modo como encaramos as dificuldades é que faz a diferença.
Às vezes nos perguntamos. Como enfrentar as mudanças radicais que se apresentam diante de nós? Como atuar em um novo cenário onde coisas que fazíamos tão bem precisam ser aprendidas? Como lutar sem deixar trás valores fundamentais? E mais, como saber a medida exata a ser tomada no momento certo?.
O mais incrível é que justamente diante das situações mais adversas. Muitos redescobrem o que tem de melhor, a ética, a amizade, a capacidade de criar novas estratégias fundamentais baseadas na experiência.
O talento para fazer alianças positivas, o espírito de liderança, a consciência da força que reside no verdadeiro trabalho em equipe.
Tudo isso aflora quando as circunstâncias exigem. Quando se sabe que existe um objetivo maior a ser alcançado. Claro que não é fácil abandonar hábitos, costumes. Não é fácil Adaptar-se aos novos meios ou usar recursos com os quais não estávamos familiarizados.
Mas todo guerreiro sabe que pessimismo e insegurança nessa hora só atrapalham. Ainda que a ameaça venha de todos os lados, com agilidade, força e determinação podem alcançar o resultado.
A combinação de energia e inteligência, assim como, o equilíbrio entre a razão e a emoção é fundamental para o sucesso.
È uma sensação extremamente agradável chegar ao fim de uma etapa com a consciência do dever cumprido e obter a consagração, o respeito de todos, o reconhecimento dos colegas a admiração das pessoas que amamos, ouvir o próprio nome com orgulho. Aquele orgulho de quem soube enfrentar as turbulências da vida e vencer.
O orgulho de ser um vencedor que não abriu mão dos seus valores fundamentais.

A CHAVE DO SUCESSO É A PAIXÃO PELA VIDA QUE RESIDE À CERTEZA DE UM NOVO AMANHÃ

quinta-feira, 17 de setembro de 2009

Sobre as mulheres

“Cuida-te quando fizeres chorar uma mulher, pois Deus conta as suas lágrimas. A mulher foi feita da costela do homem, não dos pés para ser pisada, nem da cabeça para ser superior, mas sim do lado, para ser igual, debaixo do braço, para ser protegida e do lado do coração, para ser AMADA.“

Autor desconhecido

Sou um Guereiro e você?


Silvio Carajeleascov
Se a tristeza chegar ao seu coração, seja forte, é hora de você lembrar que como todas as pessoas têm um lado guerreiro. Guerreiros nem sempre tem belas armaduras. Guerreiros, às vezes, se vestem como eu e você, acordamos cedo de manhã pra trabalhar, se preocupam em dar o melhor para as pessoas ao redor. Sabem que se caírem, leva um exército consigo. Porque na verdade o guerreiro sabe que as batalhas são travadas diariamente dentro de si mesmo. Batalhas de vencer a solidão, vencer a tristeza, vencer as inseguranças que "comprou" de outras batalhas.

O guerreiro também chora! Às vezes em silêncio! Há momentos em que não reconhece sua armadura, que se sente ferido, se sente "fracassado". Ora, meu irmão guerreiro! Lembre-se de quantas vezes você venceu pela luz do seu sorriso, de quantos soldados alegrou com suas palavras. Lembre-se de quantas vezes você lutou bravamente, conquistando seus objetivos.

Lembra-se das vezes em que você foi persistente quando ninguém acreditava em você? Liderou seu mundo, foi em frente e depois curtiu cada minuto de sua vitória. Por mais triste, por mais difícil que esteja sendo o momento agora, seja forte!

A armadura é necessária! Não deixe seu peito aberto a quaisquer críticas. Faça sua peneira. Veja o que lhe serve, realmente. O que é bom pra você? Tenha sua espada sempre à frente, mostrando que deve dar um "chega pra lá" nas pessoas que querem provar que seu sonho é só uma utopia infantil.
Veja só: se você tem um sonho de criança, é hora de realizá-lo! As doces crianças não colocam limites nos seus sonhos. Colorem seus projetos e chegam lá devagarzinho, dentro de toda inocência.

O verdadeiro guerreiro vai trilhando com amor no coração, reconhecendo sim, a força de outros combatentes, assim com o respeito que deve ter, sem menosprezar ninguém. O verdadeiro guerreiro é humilde e essa é sua fortaleza. Luta pelo que ama, pelo que almeja, luta pelos seus. Sem precisar humilhar ninguém.

Muitas vezes somente usa seu escudo. Poupa energia de ficar defendendo seus pontos de vista, inultimente. O guerreiro sabe a importância da energia pessoal. E não se esquece de entrar em contato consigo, de se dar presentes, de cuidar dos seus instrumentos (seu corpo, sua mente, seu espírito, seu ser), não se esquece de dar-se alegria, porque sabe que é o grande líder. O grande líder da sua própria vida!

Meus amigos, sejamos líderes de nossas vidas, levantemos a cabeça até o Grande Arquiteto do Universo. Deus acredita em você!!! Acredite em si mesmo! E faça os outros acreditarem em si mesmos.

Silvio Carajeleascov – Palestrante Motivacional
(35) 9919-1917
e-mail – silvioyes@hotmail.com – multlux@hotmail.com

sexta-feira, 28 de agosto de 2009

FALTANDO TEMPO


Simone Castillo
A maioria das pessoas que estão no mercado de trabalho se queixam de um mesmo problema: a falta de tempo.
O trabalho consome praticamente a totalidade do dia, não sobrando tempo para nenhuma outra atividade, uma vez que se chega exausto e sem vontade de mais nada em casa.
O que acontece é que as pessoas dimensionam mal e não fazem nenhum tipo de planejamento sobre suas vidas além do trabalho. Trabalhar é uma necessidade comum a todos mas a forma como executamos nosso trabalho, a velocidade e as prioridades é que darão rumo ao tipo de vida que teremos.
No trabalho, estabelecer o que é prioritário faz toda a diferença. Recebemos inúmeras solicitações durante o dia e sabemos impossível atender a todas. Ao invés de viver este stress, vamos priorizar e atender o que é mais importante, o demais será atendido a seu tempo e de acordo com uma escala em nossas tarefas diárias.
Em casa, estabelecer prioridades também é fundamental. Se deixarmo-nos levar pelas atividades profissionais e o cansaço que elas nos imputam, jamais teremos tempo para a família, os amigos e até para nós mesmos.
Uma coisa é certa: quanto menos fazemos, menos queremos fazer. O tempo deve-se adaptar às nossas necessidades ou seja nós devemos encontrar esse tempo priorizando aquilo que é importante para nós e colocando estas atividades na frente. Desta forma podemos nos programar além do trabalho, podemos cuidar da vida pessoal, da casa, da família e podemos ter mais qualidade em nossa vida como um todo. Afinal o grande segredo e o grande desafio é encontrar este ponto de equilíbrio e saber administrar este tempo.
Mais de Simone Castillo em www.simonecastillo.com.br

NÃO CORRA, CAMINHE RUMO AO SUCESSO


Simone Castillo
Quem não quer ser bem sucedido? Se fizermos esta pergunta, a resposta é unânime : todos queremos ser bem sucedidos mas quem de fato está preparado para isto? Todos sonham com as coisas maravilhosas que o sucesso traz mas poucos sabem que o preço às vezes é realmente alto.
Ninguém quer saber das mazelas, das conseqüências inesperadas que essa busca pode ocasionar. Conheci um homem que foi muito rico, muito bem sucedido e que não teve estrutura para agüentar a vida que se transformou e lhe tirou sua essência, sua capacidade de acreditar, de confiar. Este homem tornou-se um zumbi, um escravo da própria ambição sem limites e acabou perdendo sua família e aqueles que lhe eram mais caros. Compensou ? Talvez muitos achem que sim, apesar de tudo mas a lição que se aprende é que não adianta correr, o sucesso deve ser saboreado aos poucos ou pode acabar envenenando.
Quando perdemos a capacidade de discernir entre o certo e o errado em nome das conquistas é hora de ligar a luz de alerta. Cuidado! Quando não reconhecemos em nós mesmos emoções, sentimentos de compaixão com os demais em nome das vantagens que podemos ter é hora de ligar a luz de alerta. Cuidado!
É muito fácil perder a cabeça, se achar melhor que os outros, sentir tanto orgulho de si mesmo e desprezar quem nos cerca quando temos sucesso, quando somos vitoriosos cedo em nossas carreiras, quando o sucesso chega rápido. Por isso é preciso cuidado, por isso o sucesso deve ser alcançado sem pressa, com maturidade para que possamos desfrutar dele em toda sua plenitude e com tudo de bom que ele nos traz.
Não tenha pressa em obter um êxito completo em sua vida. Pelo contrário, aproveite as vitórias e garanta condições de plantar sempre as sementes de uma nova colheita. Saiba esperar, pois também se é feliz na expectativa e não somente nas realizações. Aprenda a caminhar em direção ao sucesso e não a correr desembestado, sem propósito, sem tempo para aproveitar o que já conseguiu, assim você conhecerá o sucesso por completo e poderá aproveitá-lo em todos os aspectos.

Mais de Simone Castillo em www.simonecastillo.com.br

quinta-feira, 20 de agosto de 2009

Frases Famosas - Getulio Vargas

Eu sempre desconfiei muito daqueles que nunca me pediram nada. Geralmente os que sentam à mesa sem apetite são os que mais comem.

Getúlio Vargas*

*Getúlio Dorneles Vargas - político brasileiro líder da Revolução de 30, foi presidente da República por duas vezes.

Algumas frases sobre a Inveja

A inveja é a homenagem, que a inferioridade tributa ao mérito.
Desconhecido

Meu mundo, minha regras! Sua inveja só comprova ainda mais meu sucesso!
Marilyn Manson

Inveja-se a riqueza, mas não o trabalho com que ela se granjeia.
A inveja de muitos anuncia o merecimento de alguns.
Marquês de Maricá

A inveja é tão vil e vergonhosa que ninguém se atreve a confessá-la.
Ramón Cajal

Frases Famosas - Salvador Dalí


O termômetro do sucesso é apenas a inveja dos descontentes.

A minha única diferença em relação a um homem louco é que eu não sou louco!

O céu não está em cima, ou embaixo ou à direita ou à esquerda; está no centro do peito do homem que tem fé.

Salvador Dalí*

*Um dos maiores representante do movimento surrealista, Salvador Dalí definia sua pintura como o produto do método paranóico-crítico, inspirado nas teorias freudianas.

quinta-feira, 13 de agosto de 2009

quarta-feira, 5 de agosto de 2009

Processo de seleção


O processo de seleção convencional é basicamente o recrutamento, seleção e admissão. Durante a fase de seleção o empregador aplica vários testes e entrevistas. O intuito é ter o colaborador dos sonhos, o empregado com o melhor perfil para a vaga. Nas entrevistas, a indefectível pergunta: Por que eu tenho de te contratar? Ou por que você quer trabalhar na empresa?
Recentemente um jovem empreendedor, que por inabilidade teve de fechar seu negócio e nunca tinha trabalhado para alguém antes, foi selecionado para uma vaga comercial. Enfrentou todo o processo de seleção. E lá estava ele na empresa pra os últimos momentos. Na entrevista com o homem que poderia vir a ser seu Gerente, ocorreu a criativa pergunta: Por que você quer trabalhar em nossa empresa? Meu jovem amigo respondeu: Ainda não quero trabalhar aqui, estou avaliando sua empresa e não estou convencido que será um bom negócio. Por que você não me convence de vir trabalhar aqui com vocês? Vamos ver seus argumentos.
Pego de surpresa, o Gerente pediu licença e logo retornou com um dos sócios, que estava meio que incrédulo com o que estava acontecendo. Na conversa, o jovem repetiu o que havia dito ao Gerente. O sócio pediu que ele explicasse o porquê de sua pergunta, e ele falou: Quero participar de um projeto em que acredito, preciso ter uma idéia de como funciona sua empresa, pois o meu e o seu tempo deve ser bem utilizado. Tenho de perceber se poderei ou não contribuir, caso contrário desejo de boa sorte a vocês e vou pra próxima oportunidade. Arrumar emprego não está sendo meu objetivo, quero encontrar uma boa oportunidade. E sorrindo falou: Acho que deveria haver os testes de seleção também para as empresas, assim poderíamos encontrar a melhor empresa para nosso perfil.
O sócio vendo a postura do jovem fez um excelente discurso sobre a oportunidade de trabalhar em sua empresa. Mas sabe o que houve? O nosso jovem herói não foi convencido, pois o sócio apresentou apenas as vantagens medíocres: cesta básica, vale transporte, semana de cinco dias e horário flexível. O foco no negócio em si foi deixado de lado. O jovem avaliou que se o sócio não acredita no que a empresa faz provavelmente a equipe estaria em um nível medíocre, pois foram convencidos de trabalhar por vale transporte, cesta básica, etc. Ele quer participar de uma equipe vibrante, de uma empresa com uma excelente oportunidade de trabalho.
Será se o nosso herói vai encontrar o que procura?

Eduardo Teixeira

domingo, 2 de agosto de 2009

Frases Famosas - Albert Einstein


"Não pretendemos que as coisas mudem se sempre fazemos o mesmo. A crise é a
melhor benção que pode ocorrer com as pessoas e países, porque a crise traz
progressos. A criatividade nasce da angústia, como o dia nasce da noite
escura. É na crise que nascem as invenções, os descobrimentos e as grandes
estratégias. Quem supera a crise, supera a si mesmo sem ficar "superado".
Quem atribui à crise seus fracassos e penúrias, violenta seu próprio talento
e respeita mais aos problemas do que as soluções. A verdadeira crise é a
crise da incompetência.
O inconveniente das pessoas e dos países é a esperança de encontrar as
saídas e soluções fáceis. Sem crise não há desafios, sem desafios, a vida é
uma rotina, uma lenta agonia. Sem crise não há mérito. É na crise que se
aflora o melhor de cada um. Falar de crise é promovê-la, e calar-se sobre
ela é exaltar o conformismo. Em vez disso, trabalhemos duro. “Acabemos de
uma vez com a única crise ameaçadora, que é a tragédia de não querer lutar
para superá-la”.

"Existem apenas duas maneiras de ver a vida. Uma é pensar que não existem milagres e a outra é que tudo é um milagre."

[ Albert Einstein *]

* Albert Einstein - físico alemão radicado nos EUA ganhador do Premio Nobel de Física de 1921, desenvolveu a Teoria da Relatividade.

Fechou o negócio

Em uma sexta-feira, recebi um convite para um papo ao final da tarde com um amigo recente. Ele estava meio deprimido por ter de fechar e vender seu negócio que funcionou menos de um ano. Lembro dele nos preparativos de abertura, muitos planos, visão abrangente, inovação, dinâmico. Criticava muitos de seus concorrentes e a todas as criticas apresentava um modo de fazer diferente. Qualquer um ficaria entusiasmado em escutar seus planos.
Mas o que deu de tão errado assim? Após longa conversa, revelou que as idéias apenas pareciam boas. Na hora de colocá-las em prática é que ficou provado que “não era bem assim”.
E por que ele não fez diferente? Por que não modificou os planos e ajustou a realidade?
Mais alguns minutos de conversa e meu novo amigo revela o que realmente aconteceu e que não era bem aquilo que havia dito. Ele iniciou o negócio com pouquíssimo capital e as idéias nem foram colocadas em prática. Nenhuma delas. Achou que local do ponto comercial lhe daria grande vantagem e quando o resultado se apresentou diferente, foi entrando em um ciclo depressivo. Foram inúmeros funcionários que passaram em um período curto de empresa. Nenhum deles estava dentro do perfil.
Mas qual perfil? Ele saberia assim que encontrasse, respondeu. Não encontrou.
Em dado momento me disse que as coisas iam tão ruins, que parecia que alguém tinha feito um feitiço contra ele.
Um dos pontos fortes para o fracasso foi sem dúvida alguma a falta de planejamento do negócio e a inabilidade de executar algumas tarefas básicas do negócio. No final perguntei se houve prejuízo, mas ele nem tinha essa informação corretamente. Não tinha controle básico nas coisas do negócio e foi levando semana a semana, mês a mês, achando que na outra oportunidade colocaria tudo em dia (lançamentos de compra e venda).
Nem só de boas idéias se constrói um sucesso, é preciso saber executar. Ninguém nasce sabendo, então não se esqueça de pedir ajuda quando encontrar dificuldades.
O desânimo se abate sobre nós todos os dias, temos de exercitar a perseverança e ter foco, para não acabarmos como meu recente amigo.

Eduardo Teixeira

sexta-feira, 24 de julho de 2009

Fofoca e intriga no trabalho


“Estou começando como estagiária em uma pequena empresa que tem seis funcionários. Agora já trabalhando, identifiquei um pequeno grupo de mulheres que ficam com fofocas e outras atitudes que lembram os grupos de meninas adolescentes, apesar de todas serem adultas. Já me envolveram em uma pequena intriga e perguntaram de lado eu queria ficar, as opções foram o lado delas e o lado do gerente. Expliquei que estava ali pra trabalhar e aprender e que estaria sempre do meu lado. Elas começaram a me isolar e o clima não é dos melhores.”

Esses fatos são bem comuns em empresas de todos os níveis. Muito bom o posicionamento da estagiária, mas se o desempenho profissional está sendo comprometido por ações de sabotagens, ela deve procurar seu superior imediato ou o RH e colocar tudo que está acontecendo.

Eduardo Teixeira

quinta-feira, 23 de julho de 2009

Percepção

...duas pessoas podem ver a mesma coisa, discordar e ter razão, simultaneamente. Isto não é lógico, é psicológico.

Rawls, John, Uma Teoria da Justiça (Lisboa: Presença, 2001)

Frases Famosas - Hendrie Weisinger

A consciência dos seus próprios sentimentos e atitudes pode influênciar seus atos de tal maneira que eles funcionem em seu benefício.

Hendrie Weisinger*

* tornou-se um especialista na aplicação da inteligência emocional, criando técnicas de treinamento de reconhecida eficácia.

Uma velha lenda hindu

Houve um tempo em que todos os homens na terra eram deuses. Eles pecaram e abusaram tanto seu Poder Divino, que Brahma, Deus dos deuses, decidiu que a "cabeça de Deus" seria tirada dos homens e escondida em algum lugar onde eles jamais pudessem encontrá-la e usá-la indevidamente.
Um dos deuses sugeriu:
- Vamos enterrá-la fundo no chão.
Brahma respondeu:
- Não, o homem vai cavar a terra e encontrá-la.
Outro Deus então disse:
Vamos colocá-la no mais fundo oceano.
Brahma disse:
- Não, o homem aprenderá a mergulhar e poderá encontrá-la.
Um terceiro Deus argumentou:
- Por que, então, não a escondemos na mais alta montanha?
- Tenho um lugar melhor, disse Brahma:
- Vamos escondê-la dentro do próprio homem.
É um lugar onde ele jamais pensará em procurá-la.

Domínio popular.

Frases Famosas - Buda

Autoconhecimento

O maior vencedor não é aquele que venceu a dez batalhas ou a cem obstáculos, mas sim aquele que venceu a si mesmo.

Buda*

*Mestre religioso e fundador do budismo no século VI antes de Cristo.

Frases Famosas - Daniel Goleman

Empatia
Perceber o que as pessoas sentem sem que elas o digam constitui a essência da empatia.
Daniel Goleman*

*Escritor de renome internacional, psicólogo.

quarta-feira, 22 de julho de 2009

O que é profissionalismo?


Um grupo de novos funcionários estava reunido para receber as tradicionais boas vindas em uma importante multinacional, instalada em Curitiba, e ter contato com as normas de procedimento. Postura, métodos, relatórios e um pedido reforçado por profissionalismo foram assuntos abordados. Até que a pessoa que conduzia a reunião perguntou o que era profissionalismo. Um dos participantes se adiantou e respondeu:
- É dar o melhor de si no trabalho.
- É estar sempre colaborando com a empresa, disse outro.
A pessoa que conduzia fez um sinal com a palma da mão para que parassem e falou:
- Contarei uma breve historinha, ok? Em uma grande e importante companhia aérea, ocorreu um dos muitos vôos internacionais, mas aquele era especial, pois uma turma de novos tripulantes estava fazendo sua primeira viagem. Na cabine apenas uma comissária tinha anos de experiência, os outros comissários estavam estreando. O vôo transcorria normal apesar de estar completamente lotado. Como a viagem era de longa duração e havia muitas crianças e idosos com muitos pedidos, em algum momento o serviço começou a ficar atrasado. A escala em um movimentado aeroporto estava ameaçada, pois se a cabine não estivesse organizada em poucos minutos, a aeronave teria de sobrevoar e esperar no final da fila para pousar, o que atrasaria todo o resto do vôo. Vendo a situação que se passava uma comissária que fazia a viagem de volta como passageira, levantou-se da poltrona e começou a ajudar a recolher as bandejas, com sua grande habilidade tudo estava no lugar e a aeronave pousou sem atraso. Já em terra, com a cabine quase vazia a comissária chefe se aproximou da despojada funcionária que acreditava que iria receber um agradecimento, um elogio, ao que responderia que não havia feito mais que sua obrigação. Mas a comissária em vez de agradecer criticou:
- Espero que nunca mais você faça uma coisa assim, disse a comissária chefe.
- O que eu fiz? Só ajudei a equipe, a empresa, eu fui profissional, respondeu.
- Negativo, sua ação atrapalhou enormemente nossa empresa. Aqui estava claro que houve inúmeros problemas em vários setores da empresa, escalação, dimensionamento da equipe, provavelmente o impacto do atraso faria com que os setores envolvidos nunca mais cometessem os mesmos erros. Já com sua interferência... haverá meu relatório, claro, mas como o resultado foi alterado, levará mais tempo para ser corrigido. Você não foi profissional.
A pessoa que conduzia a reunião citou um exemplo recente em sua empresa. Havia um funcionário que deveria visitar uma filial em outro estado, então deveria receber em conta os valores referentes à diária, passagens e confirmação de hospedagem. Pois bem, um estagiário não fez o credito da diária e o funcionário desembolsou os valores e depois recebeu o reembolso. Ele foi profissional? Não, respondeu. Se tivesse recusado sair de casa por causa do não recebimento dos valores da diária, estaria certíssimo, pois essa é a política da empresa, não devem ser abertas essas exceções. Quem não cumpriu seus deveres foi o departamento responsável, que escalou alguém sem o devido preparo para uma tarefa relativamente simples. E o funcionário não tem de bancar viagem a trabalho, ele não foi profissional.
Então, o que é profissionalismo?

Eduardo Teixeira

domingo, 19 de julho de 2009

A irresistível ascensão do Boto Tucuxi

A Amazônia é rica em lendas e povoa a crendice dos ribeirinhos cobras gigantescas (cobra grande), o boitatá, Iara, guaraná, vitória-régia, caapora, curupira, jurupari, entre tantas. Mas uma lenda que nasceu nos anos 50, por tanto, bem recente, acabou de morrer. Gilberto Mestrinho de Medeiro Raposo ou Gilberto Mestrinho, chamado nos idos de 50 por professor ou de “Boto Tucuxi”. Filho da terra esteve atento a oportunidades e sempre levou vantagens ante os diferentes cenários que o Brasil viveu. Politicamente seguia a doutrina gilbertista, que por anos foi quase imbatível no estado do Amazonas. Era um populista de mão cheia, e tinha no assistencialismo as comunidades carentes do estado, sua maior força eleitoral. Esteve no poder diversas vezes e perdeu a oportunidade de escrever seu nome na história, como alguém que ajudou realmente o desenvolvimento da região, ao contrário de ser lembrado dessa maneira folclórica.

Eduardo Teixeira

sexta-feira, 17 de julho de 2009

O mesmo cenário tem diferentes leituras


Era uma vez...
Uma indústria de calçados que tem em sua presidência nada menos do que seu fundador: um senhor com o rosto marcado pelo tempo e com a sabedoria que o tempo lhe havia oferecido.
A indústria continuava forte, apesar dos chineses. Com o crescimento, foram contratados alguns diretores. Todos muito bem preparados, com um vasto repertório de idéias, muitas posições a favor de um plano cuidadoso de crescimento, afinal a crise está aí mesmo.
Mas nosso herói, o fundador, sentia o cheiro de oportunidade, então chamou dois de seus diretores, falou individualmente com eles e pediu segredo sobre a missão que daria a cada um.
Eles partiram em datas diferentes para um mesmo destino, uma região do Brasil que estava apresentando grande migração por conta de descobertas de minérios e a instalação de uma grande e poderosa empresa. A missão era analisar o potencial da região e traçar uma estratégia para a entrada de seus produtos.
Quando os diretores retornaram fizeram seus relatórios verbais ao presidente. O primeiro estava com um ar de preocupado e falou que o lugar era um buraco, não havia nada, o comércio estava iniciando e havia dificuldade de se conseguir de tudo. Certamente não era um lugar para se instalar. O segundo estava sorridente, dizia que o lugar era uma mina, que o comercio estava iniciando e essa era a hora de se instalar e se fortalecer na região, certamente em pouco tempo a região estaria muito desenvolvida e rica e quem estivesse chegado primeiro poderia estar dominando o mercado.
O mesmo cenário tem diferentes leituras. Qual é a sua leitura? Você consegue enxergar possibilidades na adversidade ou cai em lamentações, não conseguindo detectar possibilidades de melhora, sendo tudo muito difícil de ser executado e alcançado?
Eduardo Teixeira

quarta-feira, 15 de julho de 2009

Uma obra criativa, inovadora, marcante.



Em 1979, um jovem então com 20 anos de idade, nascido em uma família negra norte americana, fazia um juramento pra si mesmo de que seu próximo trabalho faria com que todos reconhecessem sua genialidade. Mas ao contrário da maioria das pessoas, que fazem esse tipo de desafio pessoal quando encontra um fracasso, essa promessa vinha após um grande feito, um sucesso mesmo. Estamos falando de um artista, desses que tem muito talento e que é quase uma unanimidade. Não um artista criado pela indústria para ser um sucesso por algum tempo e depois substituído por outro. Não, esse era diferente. Quando ainda era muito pequeno, todos a sua volta reconheciam seu talento. E assim foi por vários anos, trabalhando em família, até que ele achou que podia ser maior, muito maior.
Nos anos 80 leu a biografia de um grande marqueteiro norte americano, P.T. Barnum, que tinha como lema “quanto mais melhor”, queria sempre estar em evidência mesmo que para isso tivesse que exagerar um pouco e maquiar sua história para torná-la mais atraente. Fez dessa biografia uma bíblia e junto com seu agente criou inúmeros boatos sobre si mesmo e a imprensa tratou de aumentá-los ou mesmo inventar novos. “Quero que minha carreira seja o maior show da Terra”, declarou a seu agente. A partir daí é um obstinado pela construção de sua carreira. Direciona seu talento para compor uma obra criativa, inovadora, marcante e culturalmente relevante, acompanhado de uma imagem excêntrica que lhe garantiria estar sempre aparecendo na mídia.
E assim foi por muitos anos a vida desse artista, um show men, um criativo, excêntrico e perturbado astro do mundo pop. Michael Jackson tornou-se um dos homens de negócios mais bem sucedidos da história, sendo por muitos anos um dos homens mais ricos do planeta. A construção do seu império financeiro não precisou de fábricas, seu único produto era seu talento. Soube reconhecer grandes oportunidades de negócios, comprava barato e supervalorizava na venda. Sua ascensão foi tão espetacular quanto sua queda, mas nunca esteve falido realmente. Suas vendas já eram tidas como difíceis de serem alcançadas por alguém nesse planeta, agora com sua morte, virou mais do que nunca um ícone que vendeu 50.000 cópias de qualquer um de seus CDs, agora, enquanto você lê esse artigo.

Eduardo Teixeira

Pesquisa: A Experiência da Fama, Maria Claudia Coelho, Editora FGV, 1999, Celebrity, Chris Rojek, Reaktion Books, 2002, Freak Inside the Twisted World of Michael Jackson, Nick Bishop, AMI Books, 2003, Moonwalk, Michael Jackson, Doubleday, 1988, The Rolling Stone Illustrated History of Rock & Roll, Diversos autores, Random House, 1992, Wikipédia, Revista Superinteressante

terça-feira, 14 de julho de 2009

Obstinação, perseverança e competência


Roberto Luiz Justus, empresário, publicitário, escritor, palestrante, cantor e apresentador, em recente entrevista para Hebe Camargo no SBT (13/07/2009), revelou o segredo do sucesso de suas empresas: equipe. Ele revela que hoje pode se dar ao luxo de ficar algum tempo afastado de suas empresas graças as equipes que estão muito bem estruturadas.
Justus ficou popular através do reality show “O Aprendiz”, que selecionou e premiou funcionários, sócios e universitários. Inovação e criatividade acompanham a carreira de quem está trabalhando com Justos. Sua agência, a Newcomm Comunicação Integrada, é considerada um dos grandes cases de comunicação do país. O empresário também se tornou sócio de duas grandes redes de publicidade internacionais.
No início de 2004, com a aquisição da Bates pelo grupo inglês WPP, Justus tornou-se sócio do maior grupo de comunicação do mundo, formando o Grupo Newcomm, primeira holding mista da história da propaganda brasileira em regime de gestão compartilhada.
Para Justos, “não devemos temer mudanças, devemos mudar os que as temem”. Tem “Inovação” como palavra chave. E comenta sobre o erro: “Todo mundo erra, é natural do ser humano, o importante é acertar mais do que errar. Reconhecer quando você erra. Não insistir no erro e saber dar a volta. O grande empresário é aquele que percebe que não está no caminho certo e sabe dar a guinada em tempo. Eu tive sucesso porque acertei mais do que errei”.
Em junho de 2009, Justus assinou contrato de quatro anos como apresentador de televisão, com o SBT, onde receberá no minimo R$ 12 milhões por ano, já que terá sociedade no faturamento de suas produções. Vale lembrar que o ultimo “O Aprendiz” arrecadou cerca de R$ 70 milhões em 15 exibições, projetando um faturamento anual para Justus, na nova empreitada, de cerca de R$ 50 milhões por ano ou algo em torno de R$ 200 milhões durante seu contrato.
Obstinação e perseverança são as marcas desse empresário, que soube acompanhar as mudanças do mundo e se posicionou em tempo, frente a todas elas.

Eduardo Teixeira

Primeiro, não queremos perder

É lógico que não queremos perder.
Não deveríamos ter de perder nada.
Nem saúde, nem afetos, nem pessoas amadas.
Mas a realidade é outra coisa.

Segundo: perder dói mesmo.
Não há como não sofrer.
É tolice dizer não sofra, não chore.
A dor é importante.
O luto também.

Terceiro: precisamos de recursos internos para enfrentar a tragédia e a dor.
A força decisiva terá de vir de nós, de onde foi depositada a nossa bagagem.
Lidar com a perda vai depender do que encontrarmos ali.

A tragédia faz emergir forças inimagináveis em algumas pessoas.
Por mais devorador que seja, o mesmo sentimento que derruba faz voltar a crescer.

Quando é hora de sofrer não temos de pedir licença para sentir e esgotar a dor.
O luto é necessário ou a dor ficará soterrada,
Seu fogo queimando nossas ultimas reservas de vitalidade e fechando todas as saídas.

Aprendi que a melhor homenagem que posso fazer a quem se foi é viver como ele gostaria que eu vivesse.
Bem, integralmente, saudávelmente, com alegrias possíveis e projetos até impossíveis.

Autora: Lya Luft

sábado, 11 de julho de 2009

Silvio Santos é o nome da estratégia



Nas últimas semanas o mundo do entretenimento televisivo do Brasil ficou muito movimentado. Tudo começou com o assédio da Rede Record ao apresentador do SBT, Gugu Liberato. A Record ofereceu um contrato de longa duração (oito anos), excelente remuneração (3 milhões mensais) e outras vantagens de carreira. Gugu era simplesmente a maior audiência e faturamento do SBT (próximo de 60%). Esse foi um golpe fortíssimo deflagrado pela concorrente e quando todos poderiam pensar que seria o “golpe de misericórdia” na rede que estava ha muito perdendo espaço, anunciantes e respeito, vimos uma reviravolta digna de um mestre, de um daqueles históricos generais com estratégia mirabolante frente a uma batalha que todos poderiam dar como perdida. O heróico Silvio Santos, pseudônimo de Senor Abravanel, apresentador, empresário e dono do Grupo Silvio Santos (conglomerado de empresas como Teatros, Lojas de Crediários, Capitalização e Bancos), Braspag e do SBT – Sistema Brasileiro de Televisão, desferiu imediatamente um golpe a altura, contratou o também empresário e apresentador Roberto Justos, o maior sucesso em faturamento da Record por 6 anos seguidos (só em 2009, 15 programas do Aprendiz faturaram 70 milhões). Também contratou a apresentadora, cantora, atriz e empresária Eliana Michaelichen ou simplesmente Eliana, que na guerra da audiência aos domingos não raro derrotava o Programa Silvio Santos, o impacto no faturamento da Record, com a saída da Eliana não foi tão forte, mas na audiência, sim.
Parecia que nosso herói tinha mostrado que a “pipa do vovô” ainda sobe e que sua vingança pararia por aí. Mas a brilhante estratégia de Silvio Santos estava apenas começando. Contratou diretores de programas, produtores, roteiristas da concorrente. Até que o improvável aconteceu, o diretor artístico da Record, Paulo Franco, que foi o responsável pela contratação de Gugu, foi contratado pelo SBT. Silvio tirou simplesmente o executivo mais próximo do bispo Honorilton Gonçalves, o todo poderoso da Record. Esse diretor foi o responsável por toda a estratégia de programação, montada pela Record nos últimos anos. Enquanto a diretoria da Rede Record, realizava uma reunião de emergência para traçar uma estratégia de não mais perder profissionais, veio mais um golpe fortíssimo, quase um xeque-mate: o SBT contratou o autor de telenovelas Tiago Santiago. Ao tirar Santiago da Record, Silvio Santos tira um dos tripés da emissora, a teledramaturgia, área que a Record mais investiu dinheiro nos últimos anos, e com a qual mais contava na chamada trilha “da liderança”. Santiago era o artífice maior desse investimento, e acaba de ir embora para o SBT, com toda informação necessária.
O resultado dessa briga é de difícil previsão, mas o craque do jogo é Silvio Santos que aos 78 anos, se viu acuado e reagiu de uma forma brilhante, surpreendendo a todos, foi capaz de dá a volta por cima e ainda marca gols de placa. Um fenômeno!
Estou certo de que as gerações futuras, quando buscarem historicamente esses acontecimentos recentes, encontrarão vasto material para analisar e creio que ficará registrado para sempre a surra de estratégia que Silvio Santos aplicou na Rede Record em julho de 2009.

Eduardo Teixeira

sexta-feira, 10 de julho de 2009

Como saber se sou um bom empregado?



Cumpro meu horário certinho, não sou de faltar, me relaciono bem com os colegas, fujo de intrigas e fofocas e eventualmente até fico depois do meu horário.
Acontece que as vendas não estão muito boas e o meu chefe começou a pedir pra eu ir tentar captar alguns convênios com empresas. Mas eu não sou da área de vendas, meu trabalho é administrativo. Eles fizeram um treinamento e elaboraram um material até que bem bonito, mas eu não levo jeito pra essa coisa. Meu medo é de ser demitido.
Ouvi esse relato do João, um conhecido aqui do bairro. Parece claro que a empresa passando por dificuldades, procurou buscar soluções para seu problema. Entendo que o investimento em treinamento (que foi oferecido ao João) é uma forma de oferecer uma oportunidade para esse funcionário e deveria ser encarada dessa maneira, como uma nova oportunidade. O seu nome foi pensado por seu superior por que algum mérito ele deve ter, um talento que talvez ele mesmo desconheça.
Acho que o João deveria se dá essa nova oportunidade e fazer o melhor. Em vez de recuar, deveria traçar um bom planejamento e ir à busca dos convênios que ajudarão a empresa.
Vamos nos colocar no lugar do empresário em questão. Talvez com as dificuldades que o negócio está passando, sua opção por reaproveitar um bom funcionário em um setor de suma importância como o de vendas, mostra o grau de confiança que ele tem no João e é uma maneira de não ter de demitir pura e simplesmente.
No momento atual, temos que deixar de pensar pequeno. O funcionário que entra na empresa já contando quantos dias falta para receber o adiantamento está indo na contramão. Temos de ser participativo, entender do negócio da empresa, trazer idéias, temos de pensar e agir como empreendedores.

Eduardo Teixeira

quinta-feira, 9 de julho de 2009

Faça o que eu digo e não faça o que eu faço



Você sabe o que é hipocrisia? É o ato de fingir crer em algo, ter virtudes e sentimentos que a pessoa na verdade não possui.
Quantas vezes você presenciou na escola, na família, no trabalho, uma pessoa ensinando um valor e praticando outro? Muitas, não é verdade? Lógico que sim, todas essas instituições são unidas pela mesma linha invisível da hipocrisia, ontem, hoje e desde sempre. Existe uma frase que sintetiza a questão: “sepúlcros caiados!“, bonitas por fora e apodrecidas por dentro.
Outro dia recebi um panfleto de uma empresa que se dizia amiga da natureza e convidava para um evento cívico ecológico. Tudo isso impresso em um papel não reciclado. Pode haver lição de hipocrisia maior do que esta? Sim, sempre haverá uma forma mais hipócrita do que outra.
Como toda regra tem excessão, vamos colhendo aqui e ali exemplos daqueles que lideram pelo exemplo.
Vamos participar dessa força contra a hipocrisia e transformar em ações nossos melhores discursos.
Se criticamos nossa esposa e filhos por gastar muito com supérfluos, não vamos dar exemplos contrários.
Se criticamos a apatia de nossos colaboradores, vamos nos mostrar motivados e encher nossos dias de ações produtivas e criativas.
Vamos conjugar o verbo da ação. Vamos agir.

Eduardo Teixeira

quarta-feira, 8 de julho de 2009

Motivação e Vontade



Falta de motivação é o quê?
É normal que as pessoas com o decorrer do tempo, comecem a perder a motivação. Ela não dura para sempre.
Tem de ser exercitada com frequência. Deveria se tornar um hábito diário, como escovar os dentes ou tomar um banho.

Mas como buscar motivação todos os dias no trabalho?
O trabalho tende a se tornar uma rotina das mais previsíveis. Com o decorrer do tempo, os desafios vão se tornando escassos e começamos a ficar cada vez mais acomodados.
A minha inteligência diz que devo buscar estímulos, desafios, novos objetivos, mas simplesmente não consigo.

Minha vida está definida: trabalho em uma boa e grande empresa, meu salário é bom, tenho casa, carro e cartão de crédito e meu trabalho vai indo...
De vez em quando surge alguma coisinha diferente pra eu fazer, mas nada que mereça grande destaque.

Pronto, você está a caminho do fim.

Fim de quê?
Ora bolas, de carreira, de vida, de histótia.
Você já não é capaz de acrescentar mais nada a história, então seu personagem é pouco ou nada interessante.
E quando um personagem fica sem interesse em uma história qualquer, ele é morto, desaparece, dá lugar pra um outro personagem mais marcante e capaz de introduzir um gás...

Mas porque alguem tão inteligente feito eu, ficou assim, tão sem motivação, caindo no ostracismo?
Nesse caso a inteligência nada teve a ver com isso. Faltou vontade. Faltou querer. Como quando você iniciou a aprender a dirigir. Nossa, quanta coisa ao mesmo tempo lembra?
Teve de aprender a controlar os pedais, mudar as marchas, controlar o volante, olhar nos retrovisores, lê as placas de transito, tudo ao mesmo tempo, quanto desafio, não é mesmo?
Errou feio tantas vezes, no inicio faltava coordenação, mas não desistiu até conseguir. Depois outros desafios foram recheando sua vida. E você foi levado pela vontade, pelo querer.
Foi esse sentimento que te fez superar os diversos estágios desafiadores de sua vida. O sua inteligência ajudou a trilhar o caminho, mas sem a vontade você nem teria dado o primeiro passo.
Não tem uma fórmula para que você volte a ter a vontade que tinha antes. Ela está dentro de você. Nasceu com ela, ninguém te ensinou isso, é seu dom nato.

Busque dentro de você aquela vontade perdida, crie pequenos desafios diários, até que esteja com a vontade em ponto de bala para um novo grande projeto.
Comece surpreendendo as pessoas do seu convívio diário e tenha em mente que pode fazer cada vez mais.
Olha, se fizer tudo direitinho, quem sabe aquela vaga de chefia não possa ser oferecida para você, que é cheio de energia, criatividade, inteligência e força de vontade.
Basta querer.

Eduardo Teixeira

terça-feira, 23 de junho de 2009

Os sete pecados capitais que se cometem em entrevistas


Após anos e anos de recrutamento percebemos que muitos candidatos cometem uma série de pecadilhos durante a entrevista que acabam por eliminá-los do processo seletivo. Não se trata de má fé, mas de simples falta de preparo e atenção quando se encara um entrevistador. Selecionei aqui os sete principais erros que candidatos costumam cometer em uma entrevista e como evitá-los:

1- Não responder diretamente às perguntas formuladas pelo entrevistador, utilizando evasivas quando não está certo sobre determinado assunto. Ideal: esteja preparado para a entrevista, olhe nos olhos do entrevistador e responda o que foi perguntado. Se não souber, diga que não sabe mas que irá pesquisar e retornar ao entrevistador;

2- Comunicar-se de maneira muito coloquial. Ideal: a entrevista é uma ocasião formal, portanto exige cerimônia;

3- Falar mal de empregos ou chefes anteriores. Ideal: mencione apenas diferenças de objetivos ou de filosofias, sem citar nomes;

4- Tentar enrolar quando se trata de responder sobre sua fluência em idiomas estrangeiros. Ideal: para a questão fluência existem apenas duas respostas: sim ou não;

5- Não ter um conhecimento mínimo sobre a empresa na qual deseja entrar. Ideal: a internet resolve esta questão. Pesquise! Empresas precisam de pessoas que demonstrem interesse em saber mais!

6- Justificar pretensão salarial baseado em suas despesas pessoais. Ideal: nossas despesas têm um peso grande em nossas decisões e opções. Porém para o entrevistador (e para o candidato) remuneração é igual à raridade daquela mão de obra no mercado, aliada à contribuição que ela traz para a empresa;

7- Disponibilidade para início imediato: dar a entender que largaria o empregador atual na mão para começar no novo, caso seja contratado. Ideal: demonstre preocupação com seu atual empregador. Se você pretende deixá-lo na mão, nada o impediria de deixar o futuro empregador na mão também.

E boa entrevista!

FONTE: BLOG Seu Próximo Emprego

Marketing Pessoal



O Marketing Pessoal é uma técnica eficaz para o sucesso profissional se usada corretamente, no sentido de valorizar a pessoa para o caminho profissional e pessoal.
Lembro que em todo processo de desenvolvimento pessoal é importante preservarmos nossas características, evitando a busca de ser aquilo que não somos.

Se você está trabalhando, seguem algumas dicas de Marketing Pessoal, pode parecer óbvio mas nós pecamos nesses itens:
- Cuide da comunicação e apresentação pessoal: seu cartão de visita
- Auto-imagem positiva e otimista
- Demonstre iniciativa, persistência, motivação em tudo que faz
- Sempre saber o que as pessoas pensam a seu respeito para mudar se necessário pequenos hábitos e costumes
- Seja sempre pontual com compromissos
- Saiba atender um pedido, auxilie, preste ajuda
- Faça com prazer e demonstre sempre vontade, atenção e responsabilidade naquilo que faz
- Tente sinceramente não dizer nada negativo ou de julgamento sobre outra pessoa durante todo um dia. Se você conseguir, tente outro dia. A disciplina verbal pode se tornar um hábito e vale a pena
- Venda corretamente sua imagem: ser competente e parecer competente (lembra a célebre máxima de Caio Júlio César*: À mulher de César não basta ser honesta, deve parecer honesta).

E para finalizar algumas características a qual não preenchem as requeridas pelo Marketing Pessoal, ou seja, não se deve portar diante de uma entrevista por emprego:

- Não estar adequadamente vestido com a formalidade que a situação exige
- Mascar chiclete
- Falar sem olhar nos olhos do interlocutor
- Ser arrogante e autoritário
- Falar demais
- Demonstrar ansiedade
- Consumir bebidas alcoólicas durante jantares e almoços
- Fumar
- Chegar atrasado
- Falar mal de ex-empregadores
- Assediar o entrevistador(a)
- Invadir o espaço do entrevistador(a) com palavras ou gestos
- Colocar objetos na mesa do entrevistador(a)
- Não desligar o telefone celular ou atendê-lo durante a entrevista

Boa sorte e bom emprego.

por Eduardo Teixeira

*Caio Júlio César - foi um líder militar e político da República romana.

sábado, 13 de junho de 2009

Finanças para todos entenderem



A internet carece de artigos mais direcionados a maioria da população no que se refere a finanças pessoais.
Sites e portais especializados ajudam as pessoas a partir da classe média a investir seu dinheiro em ações, imóveis, ouro, etc.
Mas a esmagadora maioria precisa galgar mais um degrau na escala das classes.
Preocupações com pequenos orçamentos, salários apertados, despesas mal planejadas, não tem amparo nesses lugares.
Enquanto o programa "Minha Casa Minha Vida", promete aquecer o mercado de imóveis de baixo custo, gerando empregos e possibilitando o acesso à casa própria de milhares de famílias de baixa renda, os sites especializados informam que os financiamentos a partir de R$ 150.000,00 devem esperar um pouco mais, pois as taxas de juros vão baixar um pouco mais.
Os especialistas e estudiosos não se preocupam em informar os pequenos (apesar de ser em números, muito superior aos que podem ser beneficiados com informações desse tipo).
O "economês" é freqüente em artigos econômicos e confunde aos que estão fora desse circuito. É só ver a taxa de rejeição de artigos técnicos, é altíssima!
Falta um olhar direcionado para o cidadão simples, que usa ou está começando a usar a internet como ferramenta de conhecimento e de entretenimento.
Os textos são suntuosos: "Como investir 100.000,00 em ações", "Uptrend elabora lista com 40 países", "Ainda volátil, mercado segue em busca de fundamentos para nova tendência", etc.
São assuntos tão fora do alcance e compreensão do cidadão comum e não ha interesse imediato na leitura dessas informações.
Mas a internet está mudando e artigos que impactem diretamente na vida do cidadão simples estão sendo elaborados e seus autores serão em breve os mais lidos da web.

por Eduardo Teixeira

segunda-feira, 8 de junho de 2009

Decisão pela vida






Fonte Revista Seleções do Reader´s Digest abril/2000 - A decisão de Christopher Reeve; Joanna de Ângelis responde - perg. 175 e 176

No último fim de semana de maio de 1995, o ator Christopher Reeve, mais conhecido como o super homem, participava de uma competição hípica e sofreu uma queda.

Seu corpo, de 1.93m e 97 quilos, aterrizou de cabeça, quebrando as duas vértebras cervicais superiores.

Quando o médico lhe disse que deveria passar por uma delicada cirurgia e que talvez não sobrevivesse, ele pensou em morrer.

Não seria melhor? Afinal, pouparia a todos um monte de problemas.

A vida se tornou difícil. Quando a família e os amigos chegavam ele se sentia feliz. Mas quando todos iam embora e ele ficava ali, sozinho, deitado, olhando para as paredes, sentia-se muito triste.

Imóvel, conseguia adormecer e sonhar. Sonhar que estava de novo cavalgando, representando. Ao acordar, verificava que nada mais daquilo poderia fazer.

Sua esposa, com quem se casara há três anos, entrou um dia no quarto do hospital e lhe falou: "quero que você saiba que estarei com você até o fim, não importa o que aconteça.

Você ainda é você e eu o amo."

Ele moveu os lábios, respondendo: "isso está muito além dos votos do casamento: na saúde e na doença."

Naquele dia ele decidiu que viveria. Dias depois, seu filho de três anos também lhe trouxe novas esperanças.

Ele brincava no chão quando de repente olhou para cima e disse:

Mãe, o papai não mexe mais os braços. Sim, concordou, a mãe.

É verdade.

E o papai não pode mais correr, continuou a criança. A mãe tornou a concordar.


Então o garoto fez uma pausa, franziu o rosto como se estivesse se concentrando e disse alegre: mas papai ainda pode sorrir.

Isso fez com que o ator decidisse definitivamente não partir.

Ele viveria. Aprenderia a respirar sem o auxílio da máquina.

Viveria, mesmo que fosse para sempre em uma cadeira de rodas, sem se mover.

Ele tinha uma família. E esta família o amava. Recentemente, teve oportunidade de narrar para uma revista: "estou feliz por ter decidido viver. Os que estão próximos a mim também se sentem felizes.

Em novembro de 1995, no dia de ação de graças, fui para casa passar o dia com minha família pela primeira vez desde o acidente. Quando revi nossa casa, solucei, enquanto dana, minha esposa, me abraçava.

No jantar, cada um de nós disse algumas palavras sobre o que estávamos agradecendo.

Quando chegou a vez do pequeno de três anos, ele disse simplesmente: papai.

***

A família é de grande importância para o homem.

O amor é o poder criador mais vigoroso de que se tem notícias no mundo.

Seu vigor é responsável pelas obras grandiosas da humanidade.

Num lar, onde reina o amor, todas as dificuldades podem ser superadas, porque este sentimento impulsiona o indivíduo para a frente e se faz refúgio para a vitória sobre todos os percalços.

quarta-feira, 3 de junho de 2009

O que é empreendedorismo?



O empreendedorismo é um processo que faz com que uma pessoa, que tenha formação superior ou não, se capacite, muitas vezes por intuição, a desenvolver um negócio próprio.
Isso acontece com aquele vendedor de pipocas, que investiu em um carrinho, que pesquisa preço da materia prima, que aprendeu a conquistar seus clientes. Ele sabe a hora exata de fazer uma nova panelada de pipoca, o hora certa de inundar o ar com o aroma da pipoca estourada. Ele aprendeu a lidar com o público consumidor e suas muitas faces (crianças, namorados, adultos solteiros, casados). Fica atento a oportunidades (festas, casamentos, eventos, etc).
Esse verdadeiro espirito empeendedor foi o que levou Samuel Klein (Casas Bahia), os Diniz (Pão de Açúcar), os Matarazzo (indústrias) a criarem verdadeiros impérios.
Mas se o espirito empreendedor é o mesmo, por que o vendedor de pipocas não tem uma grande rede de pipocas, com carrinhos em todo o mundo?
A diferença é que o pipoqueiro em questão nunca visualizou algo maior do que tem. O seu conhecimento de mercado é o suficiente para se manter no negócio, mas expandir nunca foi seu foco. Os outros nomes citados, heróis do empreendedorismo nunca se contentaram com pouco. Essa inquietação de que "pode ser feito mais", é como uma anomalia genética que ocorre com muita raridade e por isso quando ocorre todos ficam sabendo, por que o detentor dessa raridade é capaz de feitos grandiosos, nunca desistem com facilidade, caem e se levantam mais fortalecidos com o aprendizado da queda.
Mas você tem aquele amigo que já tentou mil e uma coisas e nada deu certo. Seu amigo já teve uma lanchonete, um lava a jato, uma banca de revistas, um bar, enveredou pelo caminho do paisagismo e por ultimo o marketing de rede e nenhum dos negócios prosperou. Sempre havia uma boa desculpa para justificar o fracasso. Mas sabe de uma coisa? A inquietação do seu amigo poderá coloca-lo a frente de uma boa oportunidade. Seu amigo tem de se concentrar nos erros e parar de comete-los. Talvez falte planejamento. Disposição não falta, idéias não falta, ele tem vontade de acertar, sem medo de arriscar, não teme mudanças e nem desafios. Só falta acertar. Alias para ele e para muitos empreendedores do Brasil, que acreditam em uma idéia e abrem seu negócio. Acreditam e investem tudo, mas a maioria fecha as portas nos primeiros anos.

Quantos escritores temos no Brasil? Melhor, quantos escritores tem em seu estado? Muitos deles grandes anônimos, mas você tem uma amiga que escreve super bem. Até editou um livro independente, por que as editoras não lhe deram oportunidade. Qual a diferença entre o livro dela e um do Chico Buarque, do Marcelo Rubens Paiva, do Paulo Coelho? Bem existem muitas diferenças, estilo, marketing, contatos e maior delas: o talento.
Talento é o nome da anomalia genética que ocorre muito raramente nas pessoas. Veremos uma lista de celebridades que tinham a tal anomalia:
Machado de Assis, Fernando Pessoa, Amador Aguiar, Juscelino Kubitschek, Samuel Klein, Heitor Villa-lobos, Pablo Picasso, Tarsila do Amaral, Di Cavalcanti, Volpi, Wolfgang Amadeus Mozart, Ludwig van Beethoven, Alexander Graham Bell, ufa! Não é uma lista completa é claro, apenas uma introdução para apoiar a idéia de que o sucesso é ditado pela diferença.

O empreendedor deve reunir algumas das seguintes características:

. Estar sempre à busca de oportunidades;
. Iniciativa
. Persistência
. Comprometimento
. Exigência de qualidade e eficiência
. Correr riscos calculados
. Saber estabelecer metas
. Buscar informações
. Planejar e monitorar sistematicamente
. Capacidade de persuasão e de formar rede contatos
. Independência e autoconfiança

Dificilmente uma pessoa reunirá todas estas características em perfeito equilíbrio, mas é importante estar consciente de quais são suas qualidades e deficiências.

Na verdade, cada empreendedor tem características especificas, mas certamente o que não foge à regra é esse desejo de fazer as coisas diferentes, desejo de inovar, o que caracteriza o espírito empreendedor e não conformista. Quem se deixa levar por esse espírito, sempre acha que as coisas podem ser melhores, que pode ter autonomia para tomar suas decisões, conduzir sua carreira, desenvolver suas especialidades, sua competência, suas “expertises”. Alguém que sabe que é o conhecimento especifico, o know how adquirido pela sua experiência, com seus estudos, sua atualização, que irão lhe dar oportunidade de fazer sucesso. Para ser bem-sucedido, o empreendedor deve ser extremamente atualizado em relação ao mercado e às suas tendências. Existe dentro dele uma certa ambição, sabe liderar equipes, trabalhar em grupo, ter confiança em si e, ao mesmo tempo, nos outros.

Você pode até ser um funcionário de uma empresa e praticar o empreendedorismo. Como? Sendo uma pessoa que não se restringe a fazer o trabalho do dia-a-dia, e que está o tempo todo observando o que acontece ao seu redor, nos outros departamentos, nas outras áreas, no produto, na tomada de decisões, enfim, você acaba percebendo tudo isso e sabe que pode tentar interferir e melhorar o seu ambiente.

Eduardo Teixeira

segunda-feira, 1 de junho de 2009

Visualização pode curar dificuldades


por Eduardo Teixeira

Encontrei na internet um artigo interessante que fala de uma técnica simples antiestresse.
O psiquiatra afirma que visualização pode curar dificuldades emocionais e outros males. Gerald Epstein, esse é o nome dele, acabou de lançar um livro com essa teoria.
Curioso pesquisei sobre o assunto e parece ser um consenso entre os psicanalistas e psiquiatras que o processo de pensar por imagens esconde um inegável potencial de cura.
Bem, visualizar é pensar por meio de imagens. Embora as últimas descobertas científicas comprovem os efeitos da mente sobre a saúde, não é preciso ir muito longe para perceber que nossa imaginação pode proporcionar um tour pelas mais diversas emoções, nos levando da felicidade às lágrimas, da raiva à excitação em um piscar de olhos, literalmente.
Se assim é, por que não investir em imagens que possam reverter quadros crônicos de emoções negativas e doenças?
Se sou um gastador compulsivo, basta visualizar um indivíduo controlado, capaz de se mover nas finanças pessoais equilibradamente.
Bem conheço indivíduos muito inteligentes, que demonstram grande equilibrio e que já tentaram de tudo pra se livrar de gastos superfluos que os acompanham a vida inteira.
Com um deles ficou provado atraves de regressão que a cultura financeira que ele vivenciou na infancia era a culpada por suas ações.
Ele constantemente presenciava queixas e brigas domésticas de seus pais e o motivo era sempre a falta de dinheiro.
Então o cérebro dele desenvolveu mecanismos que o faziam "se livrar do dinheiro". Deixando ele sempre na sua zona de conforto ou seja, sem dinheiro. Ele tentou planilhas, programas financeiros, anotações e quase entregou suas finanças para outra pessoa controlar. Nada adiantou. Começou a realizar uma série de exercícios que o ajudaram bastante. Ainda não é um sujeito que chega ao final do mes com algum valor investido para uma eventualidade, mas não está mais contraindo novas dívidas, o que é um grande passo em busca do equilibrio financeiro.

Como contribuição descreverei o método de Gerald Epstein.

Autoliberação

O trabalho de visualização, diz o psiquiatra, ajuda a rejeitar o comportamento e as atitudes que prejudicam nossa saúde. Para obter bons resultados com a técnica é preciso definir a intenção, isto é, o que desejamos conseguir com o exercício. Fique atento também para:

Postura corporal: a posição mais eficaz para a prática das visualizações é a que o autor chama de “postura do faraó”. Sente-se com as costas retas e os braços pousados confortavelmente nos apoios, mãos abertas, palmas para cima ou para baixo, plantas dos pés apoiadas no chão, sem cruzá-los.

Respiração: diga a si mesmo que fique tranquilo e relaxado. Respire ritmicamente, inspirando pelo nariz e expirando pela boca. As expirações têm de ser mais longas e vagarosas do que as inspirações.

Horários: o psiquiatra recomenda que se faça os exercícios no começo do dia, antes do café da manhã, ao entardecer e antes de dormir, pois esses três momentos de transição – entre adormecer e despertar, entre o dia e a noite, entre despertar e adormecer – são muitos fortes.

Duração: a regra de ouro para terapia com imagens, segundo o autor, é que “menos vale mais. Quanto mais curta for a visualização, mais poderosa ela é”.

Hora de praticar

Confira técnica na íntegra, proposta pelo dr. Epstein:

Nome: estresse sem angústia.
Intenção: eliminar a angústia.
Frequência: diariamente, conforme a necessidade, durante 30 segundos a 1 minuto para cada um dos exercícios relacionados entre si.

O estresse é o estado normal de nossa existência diária. Está quase sempre conosco quando estamos acordados (e, às vezes, enquanto dormimos – por exemplo, durante um pesadelo); é um dos aspectos essenciais da vida. Estamos sob estresse e sofremos choques constantemente. Esses choques não podem ser eliminados da vida, nem deveriam. São despertadores que nos estimulam a reagir e a nos manter alertas. Às vezes, encaramos esses choques como experiências dolorosas. A isso chamamos “angústia”. É essa angústia, e não o estresse, que precisamos aprender a administrar e controlar. A maneira como lidamos com a angústia mostra nossa capacidade de viver uma vida mais ou menos equilibrada. Os exercícios a seguir são correlatos e têm a intenção de lhe proporcionar um programa próprio da angústia. Você deve fazer o conjunto completo de exercícios.

1. Feche os olhos. Expire três vezes. Visualize-se alimentando gigantes poderosos. Depois que terminar, abra os olhos.
2. Feche os olhos. Expire duas vezes. Visualize-se fazendo amizade com seres hostis. Então, abra os olhos.
3. Feche os olhos. Expire duas vezes. Visualize-se atando a cabeça de uma cobra. Depois que terminar, abra os olhos.
4. Feche os olhos. Expire três vezes. Visualize-se saltando sobre o lombo de um dragão em movimento. Depois que terminar, abra os olhos.
5. Feche os olhos. Expire uma vez. Visualize-se chamando para fora os seres que habitam uma caverna e estão escondidos. Então, abra os olhos.
6. Feche os olhos. Expire duas vezes. Visualize-se enfrentando fantasmas em um antigo castelo. Então, abra os olhos.
7. Feche os olhos. Expire três vezes. Visualize-se encontrando uma alma poderosa em uma catacumba. Então, abra os olhos.
8. Feche os olhos. Expire três vezes, visualize-se conduzindo um animal estranho para dentro de uma floresta fechada. Então, abra os olhos.
9. Feche os olhos. Expire uma vez. Olhe para um alvo no qual você atirou e errou. Que fazer? Você precisa de ajuda? Então, abra os olhos.
10. Feche os olhos. Expire uma vez. Olhe para um pássaro que voa alto quando seria mais oportuno que ele permanecesse voando baixo. O que você está sentindo? Então, abra os olhos.
11. Feche os olhos. Expire uma vez. Perceba que você precisa lutar contra a maré, a fim de se realizar como pessoa. Então, abra os olhos.
12. Feche os olhos. Expire uma vez. Veja por que, depois da luta, podemos, enfim, nos aquietar. Então, abra os olhos.
13. Feche os olhos. Expire uma vez. Saiba quando é bom falar e quando é melhor ficar em silêncio. Então, abra os olhos.
14. Feche os olhos. Expire uma vez. Aprenda a não se impacientar com seja lá o que estiver acontecendo em nossa sociedade, e a não se render a isso. Então, abra os olhos.
15. Feche os olhos. Expire uma vez. Perceba que o que é construído às pressas é rapidamente destruído. Então, abra os olhos.
16. Feche os olhos. Expire uma vez. Olhando para águas serenas, límpidas e silenciosas, veja o que deseja ver. Depois que terminar, abra os olhos.
17. Feche os olhos. Expire uma vez. Olhando para águas serenas e límpidas, mude sua aparência para como desejaria ser. Depois que terminar, abra os olhos.


Fonte:
Imagens que curam – Práticas de visualização para a saúde física e mental
Gerald Epstein
Editora Ágora.

sexta-feira, 29 de maio de 2009

Programa Minha Casa Minha Vida

Sou autônomo, como comprovar renda para financiar a casa própria?
Estive em uma agencia da CEF e existem varias possibilidades de comprovar rendimentos na hora de financiar a casa própria. Quem não tem emprego formal deve se valer de extratos bancários que comprovem movimentação financeira, extratos de cartão de crédito, recibos de pagamento de aluguel, agua, luz e telefone. A famosa declaração de renda dada por um contador, sozinha não surtirá efeito.
Se o autônomo não possui conta bancária, sugiro que procure uma agencia da CEF e abra uma conta de poupança e nela realize depósitos de todos os rendimentos que tiver. Essa movimentação será analisada pelo banco. A conta de poupança é aberta mesmo se o cliente estiver negativado nos órgãos de proteção ao crédito. Existem outras contas que o cliente pode abrir, vai depender do seu perfil.
Em tempo, caso tenha uma restrição no SERASA, cartório ou SPC, o banco não dará a carta de crédito. Se for essa a situação, sugiro que entre no Tribunal Especial de Pequenas Causas, com um pedido de liminar contra todas as negativações e as discuta em juizo. Dessa maneira em no maximo 48 horas o juiz julga o pedido e o concede por jurisprudência (enquanto voce estiver discutindo juridicamente as dividas, não poderá haver negativação, isso para qualquer divida: cheques, financiamentos, cartões de crédito, cartório, etc) e voce não vai precisar de um advogado para isso.
Com a liminar concedida, todos os orgão de proteção terão de retirar seu nome e voce poderá realizar seu financiamento imobiliário.


eduardo teixeira

A diferença entre CDC e Leasing

Existem duas maneiras hoje de se comprar um carro.
Uma é o CDC e a outra é o Liesing.
Qual a diferença entre essas maneiras?
NO CDC eu peço um crédito e compro o carro. Cada mes quando eu pago uma parcela, pago uma parcela do carro.
Já no Leasing é uma espécie de aluguel com opção de compra no final.
É comum encontrar amigos dizendo que já pagaram metado do seu carro. Isso só será uma verdade no caso de CDC,
se for Leasing a dívida é bem maior. Sugiro que verifique com o banco que realizou o negócio o valor real da divida.

eduardo teixeira

quarta-feira, 27 de maio de 2009

Frase do dia

Transforme Energia em Auto-estima - Crise em Oportunidade - Medo em Coragem.

EDUARDO TEIXEIRA

10 DICAS PARA SER UM EMPREENDEDOR

Professor Luiz Marins*

Nunca como hoje, as empresas precisaram de verdadeiros “empreendedores”. Cada funcionário deve ter a atitude e comportamentos de “dono do negócio” e as empresas de sucesso são aquelas que tem em seus quadros verdadeiros “empreendedores”.

Até mesmo as universidades vêm discutindo como formar empreendedores em todas as áreas do conhecimento. Isso se deve ao fato de que mesmo como pesquisador, professor, cientista, se a pessoa não tiver espírito empreendedor dificilmente vencerá nos dias de hoje.

Com as empresas enxugando seus quadros, terceirizando seus serviços, o profissional moderno deve ter igualmente uma perspectiva de ser auto-empregado e portanto ser a cada dia mais empreendedor de suas próprias capacidades.

Uma das coisas que mais me perguntam nos programas de televisão ou durante cursos e atividades de consultoria é quais as reais características de um empreendedor e como formar ou transformar alguém em empreendedor.

Quais as principais características de um "empreendedor"? Aqui vão elas:

Boas idéias são comuns a muitas pessoas. A diferença está naqueles que conseguem fazer as idéias transformarem-se em realidade, isto é, implementar as idéias. A maioria das pessoas fica apenas na "boa idéia" e não passa para a ação. O empreendedor passa do pensamento à ação e faz as coisas acontecerem;
Todo empreendedor tem uma verdadeira paixão por aquilo que faz. Paixão faz a diferença. Entusiasmo e Paixão são as principais características de um empreendedor!
O empreendedor é aquele que consegue escolher entre várias alternativas e não fica pensando no que deixou para trás. Sabe ter foco e fica focado no que quer;
O empreendedor tem profundo conhecimento daquilo que quer e daquilo que faz e se esforça continuadamente para aumentar esse conhecimento sob todas as formas possíveis;
O empreendedor tem uma tenacidade incrível. Ele não desiste!
O empreendedor acredita na sua própria capacidade. Tem alto grau de auto-confiança;
O empreendedor não tem fracassos. Ele vê os "fracassos" como oportunidades de aprendizagem e segue em frente;
O empreendedor faz uso de sua imaginação. Ele imagina-se sempre vencedor;
O empreendedor tem sempre uma visão de vários cenários pela frente. Tem, na cabeça, várias alternativas para vencer;
O empreendedor nunca se acha uma "vítima". Ele não fica parado, reclamando das coisas e dos acontecimentos. Ele age para modificar a realidade!
Pense nisso. Você tem estas características? Como é o seu pessoal? Você já pensou em criar programas para desenvolver no seu pessoal o necessário espírito empreendedor para enfrentar os desafios deste final de século?

* O autor: O Professor Luiz Marins é antropólogo e consultor. Este seu artigo foi publicado na TAM Magazine de agosto/2005.

Empreendedorismo

Prof. Dr. José Dornelas(*)

O interesse de toda a sociedade em relação aos pequenos negócios é explicado pelo seu grande significado político e econômico. Político porque as micro e pequenas empresas funcionam como fator de equilíbrio da estrutura empresarial brasileira e coexistem com as grandes empresas. Econômico porque geram grande número de empregos, por isso, contribuem muito na geração de receitas e na produção de bens.
No entanto, muitos empresários não conseguem manter as portas de suas empresas abertas por muito tempo. Pesquisas do SEBRAE-SP mostram que cerca de 58% das empresas de pequeno porte abertas em São Paulo não passam do terceiro ano de existência.
O que leva tantas empresas à extinção? O que faz com que outras sobrevivam aos trancos e barrancos?
O fracasso pode estar ligado à falta de dinheiro no mercado, escassez de recursos próprios, entrada de novos concorrentes e mudanças das políticas do governo. Mas, uma das causas mais freqüentes do fracasso está ligada, diretamente, aos próprios empreendedores, isto é, à falta de habilidade administrativa, financeira, tecnológica e mercadológica.
A força que empurra o empresário para o sucesso é, sem dúvida, a vontade de enfrentar o desafio de abrir o próprio negócio. Mas somada a essa vontade tem que haver a disposição para adquirir conhecimentos e para desenvolver comportamentos adequados a empreendedores bem-sucedidos.
Pesquisas feitas com empresários de sucesso identificaram qualidades especiais comuns a todos eles e que foram responsáveis por garantir o seu lugar no mercado. Dentre uma destas qualidades, está a importância que os empresários dão ao plano de negócios, utilizado-o não apenas como um documento para captação de recursos, mas como uma ferramenta de gestão empresarial, sendo visto como um mapa que guiará a empresa ao seu destino e ao cumprimento de seus objetivos.
Porém, antes de iniciar precisamos esclarecer que o empreendedorismo pode ser tanto corporativo quanto de “start-up”:
Empreendedorismo corporativo – procura trabalhar os conceitos do empreendedorismo e da inovação através de programas voltados ao desenvolvimento do perfil empreendedor de funcionários e executivos e na implementação de novos projetos e negócios corporativos. Aplica-se a empresas já constituídas, de médio e grande porte, através de treinamentos, palestras, seminários, workshops e consultorias.
Empreendedorismo de start-up – procura trabalhar com potenciais empreendedores e empresas inovadoras em estágio inicial de desenvolvimento, através de treinamentos, palestras e consultorias relacionadas ao empreendedorismo, plano de negócios, inovação e capital de risco.
EMPREENDEDORISMO EM 7 PASSOS:
1. Assumir riscos Esta é a primeira e uma das maiores qualidades do verdadeiro empreendedor. Arriscar conscientemente é ter coragem de enfrentar desafios, de tentar um novo empreendimento, de buscar, por si só, os melhores caminhos. É ter autodeterminação. Os riscos fazem parte de qualquer atividade e é preciso aprender a lidar com eles.
2. Identificar oportunidades Ficar atento e perceber, no momento certo, as oportunidades que o mercado oferece e reunir as condições propícias para a realização de um bom negócio é outra marca importante do empresário bem-sucedido. Ele é um indivíduo curioso e atento a informações, pois sabe que suas chances melhoram quando seu conhecimento aumenta.
3. Conhecimento, organização e independência Quanto maior o domínio de um empresário sobre um ramo de negócio, maior será sua chance de êxito. Esse conhecimento pode vir da experiência prática, de informações obtidas em publicações especializadas, em centros de ensino, ou mesmo de "dicas" de pessoas que montaram empreendimentos semelhantes.
Possuir senso de organização, ou seja, ter capacidade de utilizar recursos humanos, materiais, financeiros e tecnológicos de forma racional. É bom não esquecer que, na maioria das vezes, a desorganização principalmente no início do empreendimento compromete seu funcionamento e seu desempenho.
Determinar seus próprios passos, abrir seus próprios caminhos, ser seu próprio patrão, enfim, buscar a independência é meta importante na busca do sucesso. O empreendedor deve ser livre, evitando protecionismos que, mais tarde, possam se transformar em obstáculos aos negócios. Só assim surge a força necessária para fazer valer seus direitos de cidadão-empresário.
4. Tomar decisões O sucesso de um empreendimento, muitas vezes, está relacionado com a capacidade de decidir corretamente. Tomar decisões acertadas é um processo que exige o levantamento de informações, análise fria da situação, avaliação das alternativas e a escolha da solução mais adequada. O verdadeiro empreendedor é capaz de tomar decisões corretas, na hora certa.
5. Liderança, dinamismo e otimismo Liderar é saber definir objetivos, orientar tarefas, combinar métodos e procedimentos práticos, estimular as pessoas no rumo das metas traçadas e favorecer relações equilibradas dentro da equipe de trabalho, em torno do empreendimento. Dentro e fora da empresa, o homem de negócios faz contatos. Seja com clientes, fornecedores e empregados. Assim, a liderança tem que ser uma qualidade sempre presente.
Um empreendedor de sucesso nunca se acomoda, para não perder a capacidade de fazer com que simples idéias se concretizem em negócios efetivos. Manter-se sempre dinâmico e cultivar um certo inconformismo diante da rotina é um de seus lemas preferidos.
O otimismo é uma característica das pessoas que enxergam o sucesso, em vez de imaginar o fracasso. Capaz de enfrentar obstáculos, o empresário de sucesso sabe olhar além e acima das dificuldades.
6. Planejamento e plano de negócios Liderar é saber definir objetivos, orientar tarefas, combinar métodos e procedimentos práticos, estimular as pessoas no rumo das metas traçadas e favorecer relações equilibradas dentro da equipe de trabalho, em torno do empreendimento. Dentro e fora da empresa, o homem de negócios faz contatos. Seja com clientes, fornecedores e empregados. Assim, a liderança tem que ser uma qualidade sempre presente.
Existe uma importante ação que somente o próprio empreendedor pode e deve fazer pelo seu empreendimento: planejar, planejar e planejar. No entanto, é notória a falta de cultura de planejamento do brasileiro, que por outro lado é sempre admirado pela sua criatividade e persistência.
Os fatos devem ser encarados de maneira objetiva. Não basta apenas sonhar, deve-se transformar o sonho em ações concretas, reais, mensuráveis. Para isso, existe uma simples, porém para muitos, tediosa, técnica de se transformar sonhos em realidade: o planejamento.
Muito do sucesso creditado às micro e pequenas empresas em estágio de maturidade é creditado ao empreendedor que planejou corretamente o seu negócio e realizou uma análise de viabilidade criteriosa do empreendimento antes de colocá-lo em prática.
Quando se considera o conceito de planejamento, têm-se pelo menos três fatores críticos que podem ser destacados:
1.
Toda empresa necessita de um planejamento do seu negócio para poder gerenciá-lo e apresentar sua idéia a investidores, bancos, clientes e para seus parceiros, sejam eles fornecedores ou seus funcionários,
2.
Toda entidade provedora de financiamento, fundos e outros recursos financeiros necessita de um plano de negócios da empresa requisitante para poder avaliar os riscos inerentes ao negócio, e
3.
Poucos empresários sabem como escrever adequadamente um bom plano de negócios. A maioria destes é composta de micro e pequenos empresários, os quais não têm conceitos básicos de planejamento, vendas, marketing, fluxo de caixa, ponto de equilíbrio e projeções de faturamento. Quando entendem o conceito, geralmente não conseguem colocá-lo objetivamente em um plano de negócios.
7. Tino empresarial O que muita gente acredita ser um "sexto sentido", intuição, faro empresarial, típicos de gente bem-sucedida nos negócios é, na verdade, na maioria das vezes, a soma de todas as qualidades descritas até aqui. Se o empreendedor reúne a maior parte dessas características terá grandes chances de êxito. Quem quer se estabelecer por conta própria no mercado brasileiro e, principalmente, alçar vôos mais altos na conquista do mercado externo deve saber que clientes, fornecedores e mesmo os concorrentes só respeitam os que se mostram à altura do desafio.
Considerações Finais Com o constante aumento do desemprego, muitos ex-funcionários de empresas têm se jogado, sem qualquer preparo, na aventura de montar um negócio próprio, com o sonho de independência financeira, de liberdade e de ficar rico. A história tem mostrado que uma pequena parcela desses mesmos aventureiros, também chamados de empreendedores, são os grandes responsáveis pelo desenvolvimento econômico e crescimento do país. Porém, a grande maioria encontra uma nova decepção quando opta pelo negócio próprio e acaba conhecendo uma realidade cruel, a qual mostra quão vil é o mercado com aqueles que não estão preparados.
A economia de mercado não permite aos principiantes ou apenas sonhadores saírem vitoriosos. Isso não significa que se devem aceitar os fatos e deixar que o mercado sempre imponha as regras do jogo. Pode-se sim, com um planejamento eficaz, contínuo e, o mais importante, com uma análise realista, construir empresas de sucesso mesmo em tempos de crise. Para isso, o futuro empreendedor deve compreender as regras do jogo antes de jogar e se convencer, a partir de dados concretos, que há uma possibilidade de sucesso no futuro empreendimento.
O problema é que as ferramentas disponíveis a esses empreendedores, destinadas a fornecer-lhes suporte nesta tarefa, são mal compreendidas e precariamente utilizadas. O plano de negócios é um exemplo claro de ferramenta de gestão comprovadamente eficiente em muitos casos, mas que, em outros, pelo fato de não ser adequadamente compreendida, acaba não agregando valor à ação empreendedora e cai no descrédito.
Os fatores principais que levam a esse cenário são muitos, mas o principal é o fator cultural do brasileiro que não crê no planejamento e prefere errar e aprender com os erros. Essa experiência de aprender com os erros seria sempre válida se fosse possível repeti-la mais de uma ou duas vezes, o que geralmente não ocorre por diversos fatores, tais como quantidade de recursos escassos, tanto financeiros como materiais, e número limitado de investidores dispostos a investir.
Desta forma, é cada vez mais evidente e necessário que os empreendedores não apenas possuam as qualidades necessárias, mas principalmente, que vejam o planejamento, materializado por meio do plano de negócios, como a sua principal arma para construir ou levar o seu empreendimento a um crescimento com bases sólidas e rumo ao sucesso.
O tema é extenso, porém procuramos abordar os principais pontos de forma a apresentar a você quais os principais requisitos para ser um empreendedor de sucesso, seja dentro da empresa onde você trabalha ou naquela que você deseja constituir!

(*) Prof. Dr. José Dornelas é um dos maiores especialistas nacionais em empreendedorismo e plano de negócios, autor de best-sellers pela editora Campus: "Empreendedorismo, transformando idéias em negócios", "Planejando incubadoras de empresas" e "Empreendedorismo Corporativo", tendo sido, este último, finalista do prêmio Jabuti 2004. Tem atuado como colaborador da ADVANCE Marketing(www.advancemarketing.com.br) desde 2002 e é sócio da Empreende Brasil (www.empreende.com.br)

Fonte: MSDN (http://www.microsoft.com/brasil/msdn/Tecnologias/Carreira/Empreendedorismo.mspx)

Perfil Do Empreendedor

Está cansado de ser colaborador? Tem ideias e não as pode concretizar no seu local de trabalho? Ou não consegue arranjar emprego porque o mercado está difícil e pensa em ter o seu negócio próprio?
Estas são algumas perguntas de partida para quem se quer tornar num empreendedor. Mas a decisão é mais difícil do que parece e não basta o "querer".


Ser o seu próprio patrão

Para ser um empreendedor de sucesso é essencial que tenha algumas características específicas. A garra, a força de vontade e a determinação são, talvez, as mais importantes, mas há outras a considerar.

Lidar com os riscos

Como actua perante os riscos? Nem todas as pessoas agem da mesma forma e se há aqueles que preferem evitá-los, há também quem os encare sem qualquer preocupação.
Como empreendedor, é essencial que tenha disposição para correr riscos, mas todo o cuidado é pouco. Arriscar é enfrentar desafios conscientemente porque disso depende o seu sucesso. Seja capaz de conviver e sobreviver a essa instabilidade. Os riscos fazem parte de qualquer actividade e só precisa de aprender a administrá-los.
Se alguma coisa não correr da melhor forma e estiver em situação de crise, não tome o fracasso como uma derrota. É apenas um resultado como qualquer outro. Reaja e aprenda com os erros.

Ter Iniciativa e ser otimista

Um empresário de sucesso deve ser criativo e fazer muita pesquisa. A iniciativa envolve decisões ousadas na procura de uma realização e independência. Determine os próximos passos do rumo da sua vida e seja optimista na sua concretização. Enfrente os obstáculos com confiança e tenha como meta o sucesso. A ambição é necessária porque a estabilidade de um empreendedor pode ser um caminho longo e difícil. Seja dinâmico e não se acomode.

Conhecer o ramo

É essencial que conheça o mercado e o ramo em que pretende actuar. Deste modo, é-lhe mais fácil perceber as hipóteses de sucesso e prevenir-se em relação a percalços que possam surgir.
Se não possui um bom conhecimento do ramo procure aprender tudo sobre o seu negócio com a ajuda de clientes, colaboradores, parceiros, etc. Faça algumas leituras e cursos. Lembre-se de que precisa manter-se actualizado e em constante aprendizagem.

Ser curioso

Se quer ser um empreendedor de sucesso prepare-se para pesquisar novos caminhos, seja nas férias ou no trabalho, nas revistas ou a ver televisão. Um empreendedor necessita de estar sempre atento às oportunidades de negócio e no altura certa em que surgem no mercado. Não se canse de procurar porque pode sempre surgir um empreendimento melhor.

Saber organizar

A organização é fundamental para o sucesso de qualquer negócio. Entenda por organização possuir os melhores recursos, como a aplicação de recursos humanos, materiais e financeiros, e integrá-los de uma forma lógica, racional e harmoniosa.
Defina metas e garanta a execução dos trabalhos dentro do prazo estabelecido.

Ser líder

Para um empreendedor é necessário que tenha boas capacidades de liderança. Tem de organizar, redireccionar esforços e manter a motivação dos seus colaboradores. Eles estão sob a sua coordenação e por isso tem de criar uma filosofia de trabalho, definindo objectivos e métodos, ao mesmo tempo que implementa um bom relacionamento entre a equipa de trabalho.
Dê um pouco de liberdade para conseguir extrair o que há de melhor neles e estabeleça uma relação interpessoal expondo e ouvindo as suas ideias.