segunda-feira, 2 de fevereiro de 2009

O QUE É SER COMPETENTE?


por Silvio Carajeleascov


Não é com os pés que se sobe o degrau da escada da vida; é com a cabeça!" Ninguém nasce sabendo, no entanto, é preciso ter competência profissional, competência pessoal, disposição para aprender e sabedoria para aproveitar o período de experiência do aprendizado para entrar na profissão com humildade. Para um bom desempenho profissional é preciso estar psicologicamente preparado. Mas o que é ter competência profissional? É: - Escolher a profissão certa - Fazer cursos extra-curriculares e de atualização - Ter amor pelo o que faz - Ser capaz de aceitar desafios para não ter grandes problemas com o sucesso Alguns atributos profissionais solicitados pelo mercado: Esforço constante: com uma dosagem certa de ambição, para obter conquistas e grandes progressos; motivação para fazer sempre o melhor e não cair na rotina.
Dedicação: entregar-se por inteiro, e não pela metade; ter amor, carinho e respeito pela profissão.
Fidelidade: à empresa, ao chefe, ao trabalho e à profissão, não se deixando influenciar pela obsessão, por troca de favores ou por propinas.
Organização: pessoal e profissional; a organização contribui para o desenvolvimento de critérios sobre prioridades (o trabalho é agilizado quando se cria e se desenvolve método prático e simples).
Agilidade: capacidade de desenvolver e atender com precisão, rapidez e perfeição, satisfazendo, conscientemente, a empresa e o cliente.
Capricho: fazer ou desenvolver um trabalho ou atendimento com zelo, prestatividade e amor, representando não só a instituição, mas o caráter de quem faz o melhor. Personalidade: para transparecer confiança, seriedade e respeito mútuo, para atuar de forma correta, para se sobressair sem se impor, para mudar de opinião quando necessário e para lutar por seus objetivos, idéias, ideais ou pontos de vista.
Distinção: o maior atributo qualitativo do ser humano é a distinção que nos torna pessoas respeitáveis.
Discrição: com ela é que se ganha credibilidade e, acima de tudo, confiança, pois qualquer deslize pode ser prejudicial à carreira profissional; deve-se saber guardar segredo, permanecer calado e sempre pensando no propósito do velho ditado: "Não vi, não ouvi e não sei".
Cultura: para manter bons relacionamentos e se entrosar com facilidade, falando com todos e sobre tudo; os estudos e muita leitura sobre diversos assuntos contribuem para o desenvolvimento deste critério.
Prudência: para agir corretamente e julgar o que fazer diante de determinadas situações pessoais e profissionais.
Responsabilidade: no cumprimento dos deveres, horários, normas e regulamentos, na realização do trabalho sem a supervisão constante de superiores, na hora de aceitar desafios, sentindo-se merecedor da oportunidade e tendo-a como uma honra para poder desenvolver o seu potencial e a sua capacidade.
Iniciativa: para colaborar, sugerir, não esperar uma nova responsabilidade ser dada, assumindo-a na primeira oportunidade; a iniciativa deve ser moderada para não ser mal interpretada, passando por cima de outros profissionais ou, superiores.
Amabilidade: para cativar as pessoas e cultivar bons relacionamentos, transmitindo boa imagem profissional e da empresa, para cultivar um ambiente de trabalho respeitoso e saudável.
Sensibilidade: desenvolver todos os sentidos, perceber os sentimentos dos outros e usá-los para liderar e trabalhar em grupo e ter percepção para agir em diversas situações corretamente.
Percepção: para perceber tudo o que acontece consigo e sem sua volta, para agir positivamente, se relacionar e adivinhar não só as necessidades do cliente, mas também o que ele pensa.
Compreensão: para poder trabalhar em grupo, para uma melhor convivência, para que haja humanismo e companheirismo.
Memória: para aprender sem grandes dificuldades e progredir; a memória contribui e garante êxitos quando aliada à organização.
Bom senso: para decidir na medida certa, não só como ou onde, mas por que agir.
Atenciosidade: saber tratar com carinho e respeito não só os superiores, como também os mais simples e humildes, manter um padrão de prestatividade e excelência no atendimento sem se tornar intransigente ou com atenções exageradas; a cortesia não dita sexo, idade, posição social ou hierárquica.
Prestatividade: ser eficiente e eficaz, ser útil, gentil e proveitoso nos pequenos gestos.
Equilíbrio: sentir-se completo, em sintonia com os três mundos (físico, mental e espiritual) para desenvolver qualidades criativas e intuitivas e manter o equilíbrio. Saiba também separar os problemas pessoais dos profissionais. A liderança, a sintonia e o equilíbrio devem estar desenvolvidos.

4 comentários:

  1. Eu diria também a lealdade. Uma característica muito importante nos dias de hoje. O bom funcionário veste a camisa da empresa. Torce por ela e luta em busca de melhores resultados. Defende os ideais dela.

    ResponderExcluir
  2. LIVIA SILVA DE RIACHÃO DO JACUIPE BAHIA. Hoje ser profissional e busca dentro de se mesma a sua competência para se prepara diante da competitividade mundial.

    ResponderExcluir
  3. Só acrestando a lealdade imclui tranparência foco suas atitudes convem com seus principios sua palavra não pode existir curvas assim desfragmentando todo o processo de alto conhecimento

    ResponderExcluir
  4. Ser competente e ser capaz de executar diariamente suas tarefas com destreza. E com ação, valores e responsabilidade cumprir as metas estabelecidas...

    ResponderExcluir

Obrigado por sua participação. Continue enviando comentários.
Obrigado.