sábado, 13 de junho de 2009

Finanças para todos entenderem



A internet carece de artigos mais direcionados a maioria da população no que se refere a finanças pessoais.
Sites e portais especializados ajudam as pessoas a partir da classe média a investir seu dinheiro em ações, imóveis, ouro, etc.
Mas a esmagadora maioria precisa galgar mais um degrau na escala das classes.
Preocupações com pequenos orçamentos, salários apertados, despesas mal planejadas, não tem amparo nesses lugares.
Enquanto o programa "Minha Casa Minha Vida", promete aquecer o mercado de imóveis de baixo custo, gerando empregos e possibilitando o acesso à casa própria de milhares de famílias de baixa renda, os sites especializados informam que os financiamentos a partir de R$ 150.000,00 devem esperar um pouco mais, pois as taxas de juros vão baixar um pouco mais.
Os especialistas e estudiosos não se preocupam em informar os pequenos (apesar de ser em números, muito superior aos que podem ser beneficiados com informações desse tipo).
O "economês" é freqüente em artigos econômicos e confunde aos que estão fora desse circuito. É só ver a taxa de rejeição de artigos técnicos, é altíssima!
Falta um olhar direcionado para o cidadão simples, que usa ou está começando a usar a internet como ferramenta de conhecimento e de entretenimento.
Os textos são suntuosos: "Como investir 100.000,00 em ações", "Uptrend elabora lista com 40 países", "Ainda volátil, mercado segue em busca de fundamentos para nova tendência", etc.
São assuntos tão fora do alcance e compreensão do cidadão comum e não ha interesse imediato na leitura dessas informações.
Mas a internet está mudando e artigos que impactem diretamente na vida do cidadão simples estão sendo elaborados e seus autores serão em breve os mais lidos da web.

por Eduardo Teixeira

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigado por sua participação. Continue enviando comentários.
Obrigado.