sábado, 11 de julho de 2009

Silvio Santos é o nome da estratégia



Nas últimas semanas o mundo do entretenimento televisivo do Brasil ficou muito movimentado. Tudo começou com o assédio da Rede Record ao apresentador do SBT, Gugu Liberato. A Record ofereceu um contrato de longa duração (oito anos), excelente remuneração (3 milhões mensais) e outras vantagens de carreira. Gugu era simplesmente a maior audiência e faturamento do SBT (próximo de 60%). Esse foi um golpe fortíssimo deflagrado pela concorrente e quando todos poderiam pensar que seria o “golpe de misericórdia” na rede que estava ha muito perdendo espaço, anunciantes e respeito, vimos uma reviravolta digna de um mestre, de um daqueles históricos generais com estratégia mirabolante frente a uma batalha que todos poderiam dar como perdida. O heróico Silvio Santos, pseudônimo de Senor Abravanel, apresentador, empresário e dono do Grupo Silvio Santos (conglomerado de empresas como Teatros, Lojas de Crediários, Capitalização e Bancos), Braspag e do SBT – Sistema Brasileiro de Televisão, desferiu imediatamente um golpe a altura, contratou o também empresário e apresentador Roberto Justos, o maior sucesso em faturamento da Record por 6 anos seguidos (só em 2009, 15 programas do Aprendiz faturaram 70 milhões). Também contratou a apresentadora, cantora, atriz e empresária Eliana Michaelichen ou simplesmente Eliana, que na guerra da audiência aos domingos não raro derrotava o Programa Silvio Santos, o impacto no faturamento da Record, com a saída da Eliana não foi tão forte, mas na audiência, sim.
Parecia que nosso herói tinha mostrado que a “pipa do vovô” ainda sobe e que sua vingança pararia por aí. Mas a brilhante estratégia de Silvio Santos estava apenas começando. Contratou diretores de programas, produtores, roteiristas da concorrente. Até que o improvável aconteceu, o diretor artístico da Record, Paulo Franco, que foi o responsável pela contratação de Gugu, foi contratado pelo SBT. Silvio tirou simplesmente o executivo mais próximo do bispo Honorilton Gonçalves, o todo poderoso da Record. Esse diretor foi o responsável por toda a estratégia de programação, montada pela Record nos últimos anos. Enquanto a diretoria da Rede Record, realizava uma reunião de emergência para traçar uma estratégia de não mais perder profissionais, veio mais um golpe fortíssimo, quase um xeque-mate: o SBT contratou o autor de telenovelas Tiago Santiago. Ao tirar Santiago da Record, Silvio Santos tira um dos tripés da emissora, a teledramaturgia, área que a Record mais investiu dinheiro nos últimos anos, e com a qual mais contava na chamada trilha “da liderança”. Santiago era o artífice maior desse investimento, e acaba de ir embora para o SBT, com toda informação necessária.
O resultado dessa briga é de difícil previsão, mas o craque do jogo é Silvio Santos que aos 78 anos, se viu acuado e reagiu de uma forma brilhante, surpreendendo a todos, foi capaz de dá a volta por cima e ainda marca gols de placa. Um fenômeno!
Estou certo de que as gerações futuras, quando buscarem historicamente esses acontecimentos recentes, encontrarão vasto material para analisar e creio que ficará registrado para sempre a surra de estratégia que Silvio Santos aplicou na Rede Record em julho de 2009.

Eduardo Teixeira

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigado por sua participação. Continue enviando comentários.
Obrigado.